PEC 32 permite que universidades federais sejam privatizadas sem necessidade de aprovação no parlamento

17/08/2021

Além das federais, o deputado Rogério Correia diz que governadores e prefeitos poderão fazer o mesmo com instituições públicas de ensino sob os seus comandos, caso projeto seja aprovado. Correia é membro da Comissão Especial da Câmara que analisa a Reforma Administrativa do governo Bolsonaro.

Publicidade

Estudantes e povo têm que sair às ruas para garantir universidade pública e gratuita de qualidade para todos. Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil.
Estudantes e povo têm que sair às ruas para garantir universidade pública e gratuita de qualidade para todos. Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil.

Economia | O projeto de Reforma Administrativa (PEC 32) do governo Bolsonaro abre as portas para a privatização de universidades federais e outras instituições de ensino que estejam sob o comando de prefeitos e governadores. Segundo o deputado federal Rogério Correia (PT-MG), há um ponto no projeto que permite aos gestores doar empresas públicas por atos deles e não do parlamento. Com isso, enfatiza Correia, uma universidade pode ser privatizada com uma canetada.

Veja o vídeo onde o deputado fala sobre a privatização de universidades:

O trecho começa aos 7 minutos e 10 segundos. O indicado é ver o vídeo completo.

Ajude com uma pequena doação de qualquer valor. Temos custos a pagar todos os meses e, para manter nossas publicações, precisamos de seu apoio. Se não quiser ou não puder doar, continue a nos acessar do mesmo jeito. Gratos.

Curta nossa página e receba atualizações sobre este e outros temas!

Mais recentes...

Professora Dorinha é presidente da Comissão de Educação da Câmara dos Deputados e diz que não há lacuna para que o percentual de 33,23% não seja cumprido urgentemente, tal como reza a lei 11.738/2008. O Dever de Classe entrou em contato com a assessoria da parlamentar e obteve mais informações sobre as ações que poderão ser feitas.
Educadora diz que "é uma tristeza ver uma professora usar o nome de Deus para defender um presidente satânico e que "se não houver paralisação nacional e luta não haverá aumento de salário nenhum".
"Já falei mais de mil vezes: o que define o reajuste é o texto da lei 11.718, que continua totalmente em vigor. Além disso, o índice de 33,23% é baseado em portarias interministeriais do governo federal, algo que também já foi definido em 2021. O anúncio oficial por parte do MEC é só uma mera formalidade, não faz parte...