Professores expõem receio de voltar às escolas antes da vacina contra Covid-19

08/01/2021

Docentes estão entre os profissionais mais vulneráveis ao coronavírus, visto que muitos já tem doenças adquiridas no exercício da profissão.

Publicidade

Imagem ilustrativa: aplicativo Canva.
Imagem ilustrativa: aplicativo Canva.

Educação | Diariamente pelas sociais, milhares de professores manifestam receio de voltar às escolas antes de se vacinarem contra Covid-19. Movimentos espontâneos entre os educadores sugerem inclusive que o magistério esteja entre os grupos prioritários para vacinação. Continua, após o anúncio.

Depoimentos

Docentes utilizam suas contas pessoais, principalmente no Twitter e Facebook, para comentar sobre retorno às escolas. "Não há como voltar às aulas sem vacina contra a Covid-19. Os casos de contaminação só crescem. Ninguém pode brincar com isso", disse a pernambucana Cláudia C Macedo. 

Na mesma linha, o carioca Flávio N Cruz também opina: "Voltar às aulas presenciais antes da vacina contra o coronavírus é como pular de um edifício de dez andares e achar que vai chegar embaixo ileso".

São muitos os comentários como os dois acima reproduzidos. E os professores estão certos. Com saúde não se brica.

Curta abaixo nossa página no Facebook e receba em breve mais detalhes sobre este tema.

Faça uma pequena doação de um valor qualquer para que possamos continuar a manter este site aberto. Caso não possa ou não queira colaborar, continue a nos acessar do mesmo jeito enquanto estivermos ativos. Gratos.

Doar com PagSeguro

Curta nossa página e receba atualizações sobre este e outros temas!

Mais recentes...

Deixe de aterrorizar os brasileiros com suas ameaças. Aceite que a maioria do povo não o quer mais. Vá rezar, se benzer, tomar um banho de sal grosso no lombo. Peça perdão por seus crimes cometidos na presidência. O Brasil quer é Lula de novo", diz um dos trechos enviado pela docente.
Jair Bolsonaro sabe que as urnas são seguras e que as pesquisas refletem vitória de Lula no primeiro turno, tal também como acertaram em relação ao próprio atual presidente em 2018. Por isso, só resta ao capitão berrar, para tentar tumultuar o dia do pleito e ganhar no grito. Coisa de baderneiro desesperado", diz o cientista político, que faz...
No final, o monstro assassino é derrotado, morre... Mas volta para dar mais um susto na plateia.