Bomba | R$ 0,46 para donos de caminhão e R$ 10 bi em impostos para o povo pagar! Leia e compartilhe...

28/05/2018 16:19

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Para baixar o óleo diesel em R$ 0,46, Temer anuncia  mais impostos e cortes na saúde e educação, dentre outros. E tudo para não mexer nos lucros de empresas estrangeiras que controlam a Petrobrás

DA REDAÇÃO | As medidas anunciadas por Michel Temer (PMDB) para acabar a greve dos caminhoneiros na verdade vão cair como uma bomba na conta de milhões de brasileiros. A dispensa de impostos — como PIS/COFINS — para baixar o óleo diesel em R$ 0,46 na prática será revertida na criação de mais tributos para o povo pagar e em cortes já anunciados nos orçamentos da saúde e educação, dentre outros. 

O rombo para os cofres públicos é de cerca de R$ 10 bilhões, segundo o ministro da Fazenda, Eduardo Guardia. E tudo porque Temer e Pedro Parente mudaram, desde 2016, a política de preços da Petrobrás, para permitir mais lucros para poderosas empresas internacionais, em particular norte-americanas. 

De forma simplificada, ficou assim: se o governo quiser redução de qualquer preço nos combustíveis, terá que retirar do Orçamento da União o valor correspondente e enviar à Petrobrás, para que as empresas privadas que passaram a controlar a estatal não sofram redução em seus lucros. (Continua, após o anúncio).

Sobre essa nova política de preços da Petrobrás, a Associação dos Engenheiros da empresa — AEPET — destacou: "Ganharam os produtores norte-americanos, os "traders" multinacionais, os importadores e distribuidores de capital privado no Brasil. Perderam os consumidores brasileiros, a Petrobrás, a União e os estados federados com os impactos recessivos e na arrecadação. Batizamos essa política de "America first! ", "Os Estados Unidos primeiro!".


Mais impostos e cortes no setor social

Segundo matéria da Folha: "O ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, afirmou nesta segunda-feira (28) que o governo terá que bloquear R$ 3,8 bilhões em despesas do Orçamento de 2018 para subsidiar a redução de R$ 0,46 no litro do diesel. No total, segundo Guardia, o subsídio custará R$ 9,5 bilhões ao Tesouro." É menos recursos para saúde e educação, só para citar dois setores.

Já no Estadão (28), Guardia diz que: "A redução de imposto [para os caminhoneiros] tem que ser compensada com outro tributo. Ao invés de tributar PIS/Cofins, vou tributar outras coisas", afirmou. "As medidas podem ser majoração de impostos, eliminação de benefícios hoje existentes. O importante é que gerem o recurso necessário para a compensação". (Continua, após o anúncio).

Ou seja, é o povo — inclusive os próprios caminhoneiros que não são donos de frotas de caminhão — que vão pagar a conta das novas políticas de preços da Petrobrás. Ressalte-se que nessa polêmica toda os preços da gasolina e do gás de cozinha sequer foram tocados. O arrocho continua, portanto.

LEIA TAMBÉM:

DA REDAÇÃO | O deputado Jair Bolsonaro (PSL-Rio) é só um laranja do PSDB, embora tenha conquistado uma legião de seguidores que tem forte antipatia pelos tucanos. Por que os fãs do "mito" não percebem que estão sendo enganados? Porque se guiam muito pela emoção e não por qualquer ínfimo sentido de racionalidade.