"Esse novo ministro da Educação é um mau exemplo para os estudantes", diz mãe de aluno

28/06/2020

COMPARTILHE!

Dona Lúcia afirmou que não quer seu filho recebendo más influências de Carlos Alberto Decotelli.

Publicidade

Presidente Bolsonaro e o novo ministro da Educação. Foto: Mec.
Presidente Bolsonaro e o novo ministro da Educação. Foto: Mec.

O Dever de Classe ouviu a opinião de algumas pessoas sobre a indicação de Carlos Alberto Decotelli para o Ministério da Educação (MEC). Dona Lúcia Almeida, mãe de aluno de escola pública, se mostrou horrorizada com as denúncias que pesam contra o novo ministro, acusado de falsificar o próprio currículo e plagiar trabalho alheio. Veja, após o anúncio.

O que disse Dona Lúcia

"Estou horrorizada. O ministro diz que tem doutorado, mas é desmentido pelo reitor. Diz que tem pós-doutorado sem ser doutor. E ainda tá acusado de plagiar trabalho escolar dos outros?! Meu Deus! É um péssimo exemplo para os estudantes. Eu não quero meu filho recebendo esse tipo de influência, não."

Continua, após o anúncio.

Falsificação

Carlos Alberto Decotelli declarou na Plataforma Lattes que concluiu curso de Doutorado na Universidade Nacional de Rosário, na Argentina. O reitor da Instituição, Franco Bartolacci, no entanto, o desmentiu publicamente.

Plágio

Decotelli também é acusado de plagiar em sua dissertação de mestrado um documento da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) do Banrisul. Denúcia foi feita por Thomas Conti, professor do Insper.

O novo ministro é militar, oficial da reserva da Marinha. 

COMPARTILHE!

Faça uma pequena doação de qualquer valor, para ajudar a cobrir os custos de manutenção do site. Caso não possa ou não queira colaborar, continue a nos acessar do mesmo jeito enquanto estivermos ativos. Gratos.

Curta nossa página e receba atualizações sobre este e outros temas!

Anúncio

Mais recentes...

Lei Complementar contra o magistério, sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro em março deste ano, desconsiderou — para efeito de vários e importantes benefícios — quase dois anos de trabalho dos profissionais da educação, maio de 2020 a 31 de dezembro de 2021, fase crítica da pandemia de Covid-19. Na prática, é como se o magistério não tivesse...
Anúncios de pagamento devem se intensificar no mês de dezembro. Expectativa é que muitos estados e inúmeros municípios paguem o abono aos profissionais do magistério. CNTE luta para mudar critério de distribuição.
Objetivo é garantir ganho real para a categoria logo a partir de janeiro. Documento com outras importantes pautas dessa área foi entregue ao setor de educação da equipe de transição do futuro governo Lula.