Veja o que mudará em sua vida (para pior) se a reforma da previdência passar

04/01/2017 11:36

Da Redação | A proposta de reforma da previdência de Temer e sua equipe econômica vai afetar de forma muito negativa a vida dos trabalhadores de todo o país. E também de pessoas idosas, pobres e doentes, que precisam de algum benefício. Ao estipular idade mínima de 65 anos para quem quiser se aposentar, o terrível 'temeroso' condena milhões a trabalhar até às portas da morte. Professores, por exemplo, que pelas regras atuais se aposentam cinco anos antes dos demais trabalhadores, agora terão que enfrentar a sala de aula no mínimo até os 65.

Confira os principais pontos:

Idade mínima

Aposentadoria para homens e mulheres só a partir dos 65 anos de idade. E o  tempo mínimo de contribuição sobe de 15 para 25 anos .

Idosos pobres

Idade mínima para pagamento de benefícios assistenciais a idosos pobres, que atualmente é de 65 anos, passa a superar os 70 anos.

Prestação continuada

O Benefício de Prestação Continuada, que antes valia para quem tinha mais de 65 anos, passará a valer para quem tem mais de 70. 

Pensão por morte

Reajuste será desvinculado do salário mínimo. A pessoa não poderá também acumular benefícios, como pensão por morte e aposentadoria.

Aposentadoria integral

Só terá direito quem trabalhar e contribuir por 49 anos. Homens e mulheres devem ter tempo de contribuição mínimo de 25 anos 

Valor mínimo

O valor mínimo do benefício será de 76% da média salarial. Mas mudanças na conta da média salarial também poderão reduzir o valor final do benefício 

Trabalhador rural

O trabalhador rural também só poderá se aposentar aos 65 anos. Hoje, homens conseguem se aposentar aos 60, e mulheres, aos 55. 

Militares

Foram poupados das novas regras, e ainda poderão acumular benefícios, como aposentadoria e pensão por morte. Policiais militares e bombeiros também ficaram de fora.

Professores

Perdem a aposentadoria especial e se enquadram na mesma regra de idade mínima de 65 anos, homens e mulheres. Pelas regras atuais, os docentes da educação básica se aposentam 5 anos antes dos demais trabalhadores. 

Homens acima de 50 anos e mulheres com mais de 45 pagarão pedágio de 50% sobre o tempo que falta para se aposentarem. Os demais, exceto militares e bombeiros, serão enquadrados nas novas regras.

Imagens dos tópicos: pixabay

Conteúdo recomendado:

DA REDAÇÃO | Em entrevista à Folha de S.Paulo (22), o ministro Henrique Meirelles (Fazenda) soltou algumas pérolas e disse quase de forma direta que os trabalhadores rejeitam Lula, aceitam perder direitos com as reformas e querem mesmo é um governo que dê mais proteção aos ricos. Meirelles, filiado ao PSD, é o principal assessor de Michel Temer...