Universidades públicas dão prejuízo e devem acabar, sugere jornalão golpista!

23/08/2017 13:11

Foto: Agência Brasil
Foto: Agência Brasil

A Folha defende o projeto geral do desgoverno Temer, baseado em privatizações. O empresário pernambucano Janguiê Diniz bancou a indicação de Mendonça Filho, do DEM, para o Ministério da Educação. Janguiê é dono da Ser Educacional, maior grupo de faculdades privadas do Nordeste 

Da Redação | O jornalão golpista Folha de S.Paulo, em editorial recente (23.07), volta a repetir a velha ladainha de que as universidades públicas dão prejuízo e por isso devem ser privatizadas. Ou seja, a Folha defende a surrada tese de que o ensino superior público sem mensalidades deve ser extinto e no lugar deve ficar apenas o ensino pago.

Logo no primeiro parágrafo do texto, a Folha aproveita para atacar a aposentadoria dos trabalhadores, fala em colapso das finanças públicas e critica os gastos do País com educação:

 "Se o colapso das finanças públicas desnudou a urgência de reformar o sistema perdulário de aposentadorias, transformações não menos importantes se impõem na segunda maior despesa finalística do Estado brasileiro -a educação."

E continua:

"O país acumula atraso de décadas na discussão sobre o financiamento do ensino público superior. A mera menção à cobrança de mensalidades ou taxas dos mais abonados, prática comum no restante do mundo, desperta ferozes reações ideológicas e corporativas."

Faltam estudos aprofundados sobre o quanto tal providência poderia arrecadar, o que dependeria do número de alunos a serem cobrados e em que proporção. Note-se que na USP, por exemplo, 63% dos ingressantes deste ano vieram do ensino médio privado -o que indica capacidade de pagamento."


Ministro apoia

Para tentar enganar os leitores, a Folha diz sem nada demonstrar que a cobrança de mensalidades nas universidades públicas favoreceria os estudantes pobres e a educação básica. A ideia é fazer o leitor acreditar que os recursos economizados com o ensino superior iriam para as outras etapas da educação do país. 

Na prática, a Folha defende o projeto geral do desgoverno Temer, baseado em privatizações. Segundo o Brasil 247, o empresário pernambucano Janguiê Diniz bancou a indicação de Mendonça Filho, do DEM, para o Ministério da Educação. Janguiê é dono da Ser Educacional, maior grupo de faculdades privadas do Nordeste.  Só tolo acredita no jornalão da família Frias.

LEIA TAMBÉM:

DA REDAÇÃO | A professora Fátima Lima Oliveira, Doutoranda em Comunicação e Semiótica pela PUC de São Paulo, fez duras e necessárias críticas ao projeto que tramita na Câmara dos Deputados com o nº 6114/2009 e que cria o Exame Nacional de Avaliação do Magistério da Educação Básica - ENAMEB. Na prática, os parlamentares querem que os professores da...