COMPORTAMENTO | Quem são as "pessoas de bem" que quase lincharam Fábio Assunção? Leia e compartilhe...

25/06/2017 15:00

Foto: Internet
Foto: Internet

O ator global Fábio Assunção quase foi literalmente linchado na cidade de Arcoverde, sertão de Pernambuco. Xingado, sofreu muita hostilização e levou até um soco. Tudo foi filmado e imediatamente exposto de forma deprimente nas redes sociais. Visivelmente sob o efeito de algum tipo de droga, Asunção sequer teve condições de se defender. As cenas são de uma brutalidade e crueldade sem tamanho.

Mas quem são mesmo as "puríssimas pessoas de bem" que agrediram o ator? 

Em primeiro lugar, pode-se dizer que são uns covardes! Aproveitaram o estado de embriaguès do moço para agredi-lo. Será que teriam sido assim tão valentões se Fábio, um homem ainda jovem e de bom porte físico, estivesse sóbrio? Tudo leva a crer que não.

O que mais deve marcar o perfil desses agressores, contudo, é o elavadíssimo nível de ignorância e hipocrisia com o qual foram castigados sabe-se lá por quem. Pegue-se a ficha corrida de todos os agressores e, certamente, se descobrirá que no meio daquela "gente de bem" há beberrões, trambiqueiros de toda ordem, infratores das leis de trânsito, fofoqueiros, adúlteros e por aí vai...

O martírio de Fábio Assunção, guardadas as devidas e necessárias proporções, assemelha-se à barbárie recente sofrida por um jovem de 17 anos que, acusado de tentar roubar uma bicicleta, teve a testa tatuada com a frase: "Sou ladrão e vacilão". Os tatuadoroes, aliás, torturadores, quiseram fazer justiçça com as próprias mãos, tal qual os algozes do ator da Globo. Com que moral? Com a velha moral imoralíssima dos hipócritas e covardões .

Apesar do forte incômodo, Fábio Assunção saiu bem mais forte como pessoa desse episódio. Em postagem pelas redes sociais, desculpou-se pela embriaguês e apresentou de forma lúcidas suas alegações sobre o ocorrido. Pelo que se viu também nas redes sociais, a maioria dos internautas saiu de forma correta em solidariedade a ele. Os agressores, no entanto, é provável que continuem a fuçar no lamaçal da ignorância e hipocrisia em que habitam.

Leia também: