Preço do material escolar dispara e particulares exigem até itens proibidos por lei SAIBA MAIS...

10/01/2017 10:22

Imagem: depositphotos / Reprodução proibida
Imagem: depositphotos / Reprodução proibida

Da Redação | A cada início de ano a história se repete. Em todo o Brasil, pais tentam se 'virar nos trinta' para comprar as geralmente longas listas de material escolar dos filhos. As livrarias e lojas especializadas aproveitam para tirar o coro dos clientes. E as escolas particulares continuam a exigir até itens proibidos por lei. Veja mais abaixo o que não pode ser solicitado dos alunos.

Segundo o site da Agência Brasil, "pesquisa feita pela Fundação Procon de São Paulo (Procon-SP) com cerca de 200 itens mostra um aumento de 12,97% nos preços". E tem produto que varia até 475%, como o lápis preto, vendido de R$ 0,35 a R$ 1,95. E isto para uma inflação de 6,18% do ano passado. O exorbitante aumento dos preços é a realidade de todo o país.

Enquanto isso, o governo Temer congelou por vinte anos os investimentos nas escolas públicas, o que certamente empurrará mais gente, mesmo sem condições, para as particulares. É só arrocho na maioria da população.

Confira a lista do que as escolas não podem exigir, de acordo com a Lei 12.886/13:

  • Álcool hidrogenado
  • Algodão
  • Bolas de sopro
  • Canetas para lousa
  • Carimbo
  • Copos descartáveis
  • Elastex
  • Esponja para pratos
  • Fantoche 
  • Fita 
  • Cartucho ou tonner para impressora
  • Fitas adesivas 
  • Fitas decorativas
  • Fitas dupla face 
  • Fitilhos
  • Flanela
  • Giz branco ou colorido 
  • Grampeador
  • Grampos para grampeador
  • Guardanapos
  • Isopor 
  • Lenços descartáveis
  • Livro de plástico para banho 
  • Maquiagem 
  • Marcador para retroprojetor 
  • Material de escritório 
  • Material de limpeza 
  • Medicamentos 
  • Palito de dente 
  • Palito para churrasco 
  • Papel higiênico 
  • Pasta suspensa 
  • Piloto para quadro branco 
  • Pinceis para quadro 
  • Pincel atômico 
  • Plástico para classificador 
  • Pratos descartáveis 
  • Pregador de roupas 
  • Produtos para construção civil (tinta, pincel, argamassa, cimento, dentre outros) 
  • Sacos de plástico
  • Talheres descartáveis
  • Cola para isopor 

Exemplos de itens que podem ser solicitados, mas com restrições (a partir de 2 anos) 

  • Colas em geral (no máximo 1unidade branca e colorida de até 1litro, a partir do maternal)
  • Envelopes (no máximo 10 unidades na educação pré-escolar)
  • Lã (no máximo 1 rolo pequeno)
  • Papel ofício ou A4 - 1 resma (500 folhas)
  • Argila / massinha (até 1 kg a partir do maternal)
  • Bastão de cola quente (até 1 saco com 50 unidades)
  • Cordão / barbante (1 rolo pequeno)
  • Pendrive/CD/DVD (1 unidade para retornar aos pais)
  • Emborrachados E.V.A. (8 folhas - 2 folhas de cada cor)
  • TNT (até 1 m)
  • Palito de picolé (saco com até 50 unidades)
  • Papel ofício colorido ou 1 caixa de color set
  • Trincha 12 mm (2 unidades)

SAIBA MAIS: As escolas também não podem exigir que a aquisição do material seja feita no próprio estabelecimento, indicar a marca dos produtos pedidos ou papelarias de preferência. A única indicação de lojas permitida é para os uniformes.

Com informações da Agência Brasil

Leia também: