MARAJÁS | Em apenas um mês, Moro e Dallagnol ganharam o equivalente a 61 vezes o piso nacional dos professores! Saiba mais e compartilhe...

09/08/2017 15:24

O juiz Sergio Moro embolsou 651 mil reais em apenas um ano. Deltan Dallagnol recebeu 86.850,59 reais somente em um mês. Os pop stars da lava-jato, como se vê, vão muito bem, obrigado

Com informações do jornal Estado de S. Paulo | Entre as dez categorias profissionais mais bem remuneradas do país, seis fazem parte da chamada elite do funcionalismo público — como promotores, procuradores e juízes. Ou seja: sete das atividades profissionais mais rentáveis do Brasil estão associadas à estrutura estatal. Por outro lado, dentro do serviço público, a maioria ganha muito mal, como é o caso dos professores da Educação Básica de estados e municípios. Ver dados mais abaixo.

O ranking relativo aos que ganham mais no serviço púlico foi elaborado pelo pesquisador José Roberto Afonso, do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (Ibre/FGV) e professor do mestrado do Instituto Brasiliense de Direito Público (IDP).


Os "marajás"

  1. Promotores e procuradores do Ministério Público ganham anualmente, em média, quase R$ 530 mil.
  2. Juízes e integrantes dos tribunais de contas, mais de R$ 512 mil
  3. Diplomatas, R$ 332 mil, na média, por ano.


Moro, Dallagnol & Cia

Apenas a título de exemplo, e segundo o site Carta Capital (03/09/2016), veja alguns números relativos a salários e penduricalhos diversos de alguns conhecidos marajás do serviço público:

"O juiz Sergio Moro embolsou 651 mil reais em 2015, média mensal de 54 mil. Corregedora-nacional de Justiça até meados de agosto, Nancy Andrighi recebeu 40 mil por mês, de janeiro a julho de 2016, na qualidade de ministra do Superior Tribunal de Justiça (STJ)."

"Em algumas ocasiões, os valores explodem. Em abril [2016], o procurador Deltan Dallagnol, chefe da força-tarefa da Operação Lava Jato, recebeu 86.850,59 reais. Dois meses depois, a ministra do STJ Regina Helena Costa ganhou 83.322,35 reais."

"Somada a média mensal de R$ 54 mil de Moro em 2015 com os mais de R$ 86 mil de Dallagnol em apenas um mês, temos o equivalente a sessenta e uma vezes o piso nacional dos professores, que em 2017 é R$ 2.298,80. Como se vê, os pop stars da lava-jato estão muito bem, obrigado". 

Maioria do funcionalismo ganha péssimo

Enquanto marajás, como um procurador ou juiz, chegam a ganhar mais de R$ 85 mil por mês para trabalhar no maior conforto possível, professores da Educação Básica de estados e municípios amargam salários miseráveis. O piso nacional do magistério, por exemplo, sofreu reajuste de 7,64% em 2017 e ficou em apenas R$ 2.298,80. E isto para jornada de 40 horas semanais, ou seja, dois turnos de trabalho pesado em sala de aula.

De acordo com dados coletados de sindicatos da Educação de todo o país, a média nacional da remuneração dos educadores, mesmo para quem está em fim de carreira e tem curso até de doutorado, não chega a R$ 5 mil líquidos para 40 horas por semana.

Na verdade, a ampla maioria dos servidores públicos de todo o país (União, estados e municípios) ganha muito mal, em média pouco mais de um salário mínimo. Essa é exatamente uma das razões de privilegiados como Moro e Dallagnol ganharem muito bem.

LEIA TAMBÉM: