IRA | Jornalista agride nordestinos e se desespera com apoio a Lula e derrocada de Moro e do PSDB!

02/09/2017 16:29

Tal como uma víbora, Cantanhêde destila todo o seu odioso veneneno contra os nordestinos das classes D e E. A ira da "jornalista", na verdade, é porque até bem pouco tempo ela tieteva o Temer e é fã de carteirinha do Aécio Neves (PSDB), dois entulhos que a maioria dos nordestinos nunca engoliu 

DA REDAÇÃO | O desespero está cada vez maior entre os golpistas e a chamada "grande imprensa" que os acoberta nos meios de comunicação. Nesse particular, a senhora Eliane Cantanhêde, que faz propaganda partidária em vez de jornalismo no Estadão, demonstrou em editorial de ontem (1) toda a sua agonia com o sucesso da caravana de Lula pelo Nordeste e a pesquisa da Ipsos que aponta a derrocada de Moro e de sua (dele) seletiva operação lava-jato. Cantanhêde chora também muito mal humorada o permanente declínio do PSDB. 

Agressão aos nordestinos

Em total desrespeito aos nordestinos e preconceito a pessoas com algum tipo de necessidade especial, Cantanhêde diz que o povo dessa região é "cego, surdo e mudo para quaisquer revelações da Lava Jato, que opõem Moro a Lula. "O desgaste vem aumentando. E não só dele [Moro], mas, claramente, da Lava Jato", choraminga a "jornalista".

Tal como uma víbora, Cantanhêde destila todo o seu odioso veneno contra os nodestinos das classes D e E: "Cidadãos e cidadãs com menor escolaridade e maior ingenuidade, menor nível de informação e maior crença no que Lula diz." 

A ira da "jornalista", na verdade, é porque até bem pouco tempo ela tieteva o Temer e é fã de carteirinha do Aécio Neves (PSDB), dois entulhos que a maioria dos nordestinbos nunca engoliu.


Aceita que dói menos

A agressão aos nordestinos exposta no editorial do Estadão revela também que Cantanhêde já começa a se conformar com a realidade. Ela afirma:

"Às vésperas da campanha de 2018, a pesquisa sugere que a versão do PT e de Lula está voltando a ter ressonância em algumas faixas e continua forte em duas regiões, uma delas bastante populosa - o Nordeste. Depois de anos de baixa e da derrota acachapante nas eleições municipais de 2016, o partido recupera seu poder de ataque?"

"Essa percepção se torna ainda mais forte quando a própria pesquisa Ipsos aponta para uma grave rejeição aos principais líderes (e candidatos) do PSDB, o partido que polariza com o PT desde ao menos 1994. Quanto mais o PSDB cai, mais o PT pode subir."

É, Cantanhêde, aceite que dói menos.

LEIA TAMBÉM: