CÍNICO | Governo tucano diz que mantém "diálogo" mas anuncia mais ataques aos professores! Leia e compartilhe...

09/08/2017 20:06

João Dória e Beto Richa durante reunião da Executiva Nacional do PSDB (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
João Dória e Beto Richa durante reunião da Executiva Nacional do PSDB (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

DA REDAÇÃO | O governo Beto Richa (PSDB) é o que se pode chamar de porta-voz do cinismo e da incoerência. Para tentar enganar a opinião pública do Paraná e do resto do País, Richa, através do portal oficial do governo (08.08.2017) e de assessores graduados diz que "mantém diálogo" com os professores. No entanto, na mesma matéria, anuncia uma série de perseguições aos docentes.


Veja:

O chefe da Casa Civil, Valdir Rossoni, e a secretária de Estado da Educação, professora Ana Seres, reuniram-se nesta terça-feira (08), no Palácio Iguaçu, com representantes do sindicato dos professores para mais uma reunião sobre a pauta de reivindicações da categoria.

Rossoni reiterou que as faltas relativas aos dias 16 e 17 de março e 30 de junho serão mantidas, conforme já anunciado. A orientação do Governo do Estado também é de lançamento de falta para os profissionais que aderirem à paralisação programada para 30 de agosto. "Não voltaremos atrás na questão das faltas. Isso já foi decidido", disse.

Em relação à data-base, outra reivindicação dos servidores, Rossoni disse que as tratativas ficarão a cargo da Secretaria de Estado da Administração. "Estamos no limite para os gastos com pessoal. O secretário estadual da Administração vai recebê-los, o governo é aberto ao debate, mas não vejo essa possibilidade agora, pois não podemos aumentar os gastos com a folha", explicou Rossoni.


APP-Sindicato

Sobre essa reunião, o presidente da APP-Sindicato, professor Hermes Silva Leão, disse:

"Temos uma disputa de interpretação do orçamento do Estado, o governo insiste que há uma crise e por isso impõe cortes. Possuímos a média salarial mais baixa do Poder Executivo. Exigimos a manutenção dos direitos, melhores condições de trabalho e valorização adequada para garantir um processo de aprendizado à altura. Cobramos também uma mesa de negociação efetiva, assim como a reabertura do debate financeiro. As ilegalidades da Resolução de distribuição de aulas que recaem na categoria precisam ser corrigidas". (APP-Sindicato)

Ou seja, pelo visto, Beto Richa ainda terá muitas dores de cabeça com as lutas dos professores. A APP-Sindicato tem se destacado como uma das organizações mais combativas do País quando o tema é defender os interesses dos trabalhadores em geral e dos professores em específico.

LEIA TAMBÉM: