30 ANOS | Temer anuncia duríssimo golpe no piso e teto salariais do funcionalismo! Leia e compartilhe...

16/08/2017 23:02

Foto: Agência Brasil
Foto: Agência Brasil

Inicial na União não poderá ultraprassar R$ 5 mil. E só depois de longos 30 anos o servidor chegará ao topo da carreira. Medida deve se estender também ao funcionalismo de estados e municípios

DA REDAÇÃO | Segundo matéria do Estadão (14), o desgoverno Temer (PMDB) vai regulamentar a progressão na carreira dos servidores da União para impor salário inicial de no máximo R$ 5 mil. Medida prevê também que apenas depois de 30 anos de serviço o funcionário chega ao topo da carreira, isto é, atinge a remuneração máxima no cargo. Iniciativa deve se estender também a estados e municípios.

Na prática, isto representa um duríssimo golpe no funcionalismo, em particular nos que entrarem depois da aprovação de tal projeto. Hoje, um Policial Rodoviário Federal, por exemplo, inicia com R$ 9.491,98. Caso o plano macabro de Temer se concretize, este mesmo policial ficará com o inicial máximo limitado aos R$ 5 mil. E só depois de longas três décadas é que chegará a um valor maior.


Mais dificuldades

A equipe econômica de Temer estuda ainda, para dificultar ao máximo o crescimento salarial dos novos concursados, condicionar também a progressão na carreira a cursos de mestrado e doutorado. A meta do governo é pegar justamente os setores médios do funcionalismo, geralmente localizados nos órgãos de fiscalização, arrecadação e segurança.


"Estímulo"

Segundo ainda a matéria do Estadão, projeto visa "estimular a produtividade dos servidores", que hoje muitas vezes já entram ganhando salários próximos do teto ou levam cerca de 10 anos nessa progressão.

A economia será de R$ 1,2 bilhão em 2019, R$ 18,6 bilhões em 5 anos, R$ 69,8 bilhões em 10 anos e R$ 154,1 bilhões em 15 anos.


Estados e municípios

Embora a princípio tal medida deva atingir apenas os servidores federais, tão logo seja aprovada, a curto prazo também será estendida ao funcionalismo dos estados e municípios. Temer, como está declarado no Estadão, quer igualar [por baixo] os salários dos setores público e privado do País. É muito arrocho à vista.

LEIA TAMBÉM: