Em banquete, Temer endurece contra funcionalismo e professores terão mais tempo em sala de aula! Saiba mais e compartilhe...

23/11/2017 18:32

Há casos em que o professor terá que ficar até doze anos a mais em sala de aula

DA REDAÇÃO | Em milionário e farto banquete realizado ontem (22) no Palácio da Alvorada, o ilegítimo Michel Temer (PMDB) reforçou o discurso de que é preciso endurecer contra os "privilégios" do funcionalismo público e exigir mais tempo de serviço e contribuição para quem desse setor quiser se aposentar. Nesse particular, os professores da educação básica pública de estados e municípios estão entre os mais penalizados por Temer e seus aliados no Congresso Nacional. (Ver após o anúncio como ficará a situação).

Mais tempo em sala de aula

Pelo que reza a aposentadoria especial, professores da educação básica se aposentam ao cumprirem 25 anos de contribuição (mulheres) e 30 anos (homens). Com isso, conseguem se aposentar cinco anos antes dos demais trabalhadores, que pela atual legislação precisam contribuir por 30 anos (mulheres) e 35 (homens).

Leia também: Urgente! MEC manda estados e municípios reduzirem salários de professores! 

Na nova proposta apresentada ontem (22) no banquete, Temer e seus convidados querem que os professores (homens ou mulheres) só se aposentem quando tiverem, no mínimo, 60 (sessenta) anos de idade e tiverem também cumprido os 25 anos de contribuição. Ou seja, é muito mais tempo em sala de aula. Ver exemplos concretos após o anúncio.

Exemplos

A professora Constância Barros, da rede pública do Piauí, começou a lecionar aos 23 anos. Quando completou 48 anos, se aposentou com salário integral, pois completou os 25 anos de contribuição. Anos de trabalho: 25.

Se a proposta do Temer vencer, um docente que comece aos 23, quando chegar aos 48 terá completado os 25 anos exigidos de contribuição. No entanto, terá que ficar mais 12 (doze) anos em sala de aula para atingir a idade mínima para aposentadoria exigida pelo desgoverno federal: 60 anos. (Ver após o anúncio como ficará a aposentadoria integral).

Aposentadoria integral impossível

Mas tal professora, mesmo após cumprir essas draconianas regras, só receberá 70% do seu salário. Para ter direito à aposentadoria integral a docente terá que chegar aos 40 (quarenta) anos de contribuição. Como já cumpriu 25, paga mais 15 anos.

A festança com o dinheiro público para atacar os trabalhadores contou com a presença de cerca de 170 deputados, além de governadores, ministros e convidados especiais partidários do fim do direito de um trabalhador se aposentar. Uma vergonha para o País. (Continua após o anúncio)

Temer & Cia anunciaram também que servidores públicos não docentes só se aposentarão a partir de idade mínima de 65 anos (homens) e 62 (mulheres). Para estes, aposentadoria integral só após completarem também 40 anos de contribuição.

Com informações de: Agência Brasil e congressoemfoco

Compartilhe com seus amigos e curta nossa página, para receber atualizações sobre este e outros temas!

LEIA TAMBÉM: