Em artigo, professor resgata breve História do PT! Leia e compartilhe...

16/07/2017 13:29

Fotomontagem: Internet
Fotomontagem: Internet

VIA CRUCIS | Por Renato Uchôa, educadorLuiza Erundina, perseguida sistematicamente pelo reitor da UFPB Guilardo Martins Alves (1964 a 1971), pai de Eduardo Jorge, que cresceu no PT. Erundina selou o cavalo, eleita prefeita de São Paulo nos deu uma lição de vida à época, mesmo enveredando hoje por outras estradas, nomeou Eduardo Jorge secretário de Saúde. No tempo das vagas gordas, que não comiam o "papelão". E se alimentavam de capim mimoso. O nosso alimento principal foi por anos a Carta de Princípios do PT, que alguns afirmam de pés juntos se perdeu na década de 1990. A partir de então o PT sempre deu a outra face, nos tapas da Elite.

Eduardo Jorge, Inimigo do Mais Médico, atrofiou alguns órgãos (o cérebro...) e se tornou uma pessoa rancorosa na tropa dos vários que saíram de lá. Luciana Genro, Marina (você nos vendeu para a Dona Neca do Itaú), Marta Suplicy... ferrenhas marionetes das Elites brancas e perfumadas. Todos eles defendem a Operação Lava Jato. Uma ingratidão ao partido.

Um "papelão" da Polícia Federal comandada pelo delegado Maurício Moscardi Grillo, uma cunha nas exportações da carne, de quebra 10 anos para recuperar a credibilidade do setor. Também da farsa na condução coercitiva de Lula (sequestro que deu errado em direção a uma prisão na República corrupta do Paraná). Ele também tangeu Guido Mantena do hospital na condução coercitiva. E, mais grave ainda, uma operação no Acre por nome de G7, que o ministério Público Estadual e Federal não tinham conhecimento prévio. Uma vergonha para o mundo inteiro.

Um juiz Federal de lá (Acre), diferente de alguns desembargadores e juízes do Paraná, que fornecem bala na agulha do juiz parcial Moro na quebra da legalidade, acabou com a farsa da operação do delegado vaidoso, reprovado no exame psicotécnico, mais que exerce a função, vez que foi aprovado para agente, por extensão a Lei garantiu.

Segundo o juiz, depois do estrago, prisões ilegais, pessoas morreram, fechou batendo o martelo "Se, por um lado, o exame isolado de cada um dos elementos indiciários é insuficiente para mostrar até mesmo a tipicidade dos fatos descritos, por outro lado a perspectiva em conjunto de todos os elementos revela-se igualmente insuficiente para afastar dúvidas razoáveis que afetam diretamente o tipo penal"

Só a Rede Globo de Televisão sabia e sabe. Uma relação perniciosa de vários agentes da Lei com sonegadores... de todas as espécies e vazamentos seletivos, agora debaixo do sovaco, ou do martelo do juiz Moro na transmissão ilegal da audiência de Marcelo Odebrecht. Uma vergonha. O Blogueiro sortudo, Diogo Mainardi é o caloteiro das Lojas Magazine Luiza, um verme que mora na Itália, e que ataca com ódio e preconceito o povo do Nordeste. O povo brasileiro.

O delegado (Moscardi) considerado por colegas como imaturo para comandar Operações Complexas, pulou do Acre em 2014 para a República Corrupta do Paraná e caiu nos braços da Operação prende Lula e Livra os Ratos Amigos. Lá no Paraná, no dia 03/05, reside o núcleo mais tendencioso do Ministério Público, do Tribunal de Justiça, da Polícia Federal... na investigação que ao invés de encontrar provas contra Lula, produzem desde de o começo da Operação Lava Jato (que tem o doleiro, o juiz e o procurador, os mesmos atores do Caso Banestado) pregos dos mais variados tipos para crucificar Lula na cruz, ao invés dos ladrões do Caso Banestado, da Merenda Escolar, do Metrô, da Petrobrás..., que dormem tranquilos como bebês.

A arapuca foi montada às pressas, Monteiro na Paraíba deixou bem claro quem são os ladrões golpistas. Estão em polvorosa. O exemplo de lá vai se alastrando pelo país, Lula e Dilma são nossos amigos, mexeu com eles, mexeu com todos. Dia 03/05 em Curitiba é vencer, vencer...vai encarar?

LEIA TAMBÉM:

DA REDAÇÃO | Segundo o portal congressoemfoco, "dos R$ 7,5 bilhões que o presidente Michel Temer (PMDB), via equipe econômica, descontingenciou do orçamento de 2017, R$ 593,4 milhões serão destinados ao pagamento de emendas parlamentares, dinheiro assegurado a deputados e senadores para que eles usem livremente em seus redutos [currais]...