ECONOMIA | Temer quer economizar quase R$ 2 bilhões ao reduzir salários dos servidores! Saiba mais e compartilhe...

15/08/2017 00:15

Foto: Agência Brasil
Foto: Agência Brasil

DA REDAÇÃO | Matéria do Estadão (14) diz que Michel Temer (PMDB) estuda aumentar a alíquota previdenciária de servidores federais para até 14%. A medida, segundo apurou o Estadão/Broadcast, renderia R$ 1,9 bilhão a mais por ano aos cofres do governo. Hoje os federais contribuem para a previdência com 11% dos seus salários. Ao elevar para 14% (3% a mais), na prática o ilegítimo quer diminuir os salários do funcionalismo. Mais descontos, menos salários. Simples assim.

Segundo ainda a matéria do Estadão: "A medida é bem vista por especialistas, que ressaltam o desequilíbrio nas contas não só do INSS, mas também na Previdência nos servidores. O rombo no RPPS chegou a R$ 82,5 bilhões em 12 meses até junho deste ano, e a previsão do governo é de que atinja R$ 85,2 bilhões até o fim de 2017. Mais da metade do resultado negativo vem dos benefícios pagos a servidores civis."

Na verdade, Temer quer elevar descontos nos contracheques do funcionalismo para fazer mais caixa e, assim, poder comprar parlamentares, tal como fez recentemente para impedir que fosse investigado pelo Ministério Público Federal, o que levaria a seu afastamento do governo. Os servidores precisam se mobilizar. Se não o fizerem, Temer levará esse setor a um nível de arrocho cada vez maior.

Sobre isso, o presidente do Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal (Sindifisco), Claudio Damasceno, declarou: "É mais uma tentativa de jogar a responsabilidade pelo desequilíbrio econômico, e da Previdência, nas costas do servidor". O Fórum Nacional das Carreiras Típicas de Estado (Fonacate) se reuniu ontem (14) para discutir "ações conjuntas" diante das investidas do governo contra os servidores.

LEIA TAMBÉM: