Ataque ao funcionalismo e R$ 800 milhões: Temer lança dois planos canalhas para aprovar na marra o fim da aposentadoria! Saiba mais...

17/03/2017 11:32

Foto: Agência Brasil
Foto: Agência Brasil

Da Redação | Um dia após após as gigantescas mobilizações de 15 de Março, que levaram milhões às ruas de todo o país contra a reforma da previdência, Michel Temer (PMDB) e seus comparsas de golpe contra o povo, desesperados, lançaram ontem dois planos canalhas para tentar aprovar na marra o fim da aposentadoria. 

O primeiro refere-se a uma ditadura contra os servidores públicos. Neste sentido, governistas tentaram aprovar ontem (16), em regime de urgência, o Projeto de Lei do Senado (PLS 710/2011), do tucano Aloysio Nunes, que acaba com o direito de greve do funcionalismo. 

Medida só não foi aprovada porque os senadores do PT e PCdoB obstruíram o processo. Até o governista Renan Calheiros (PMDB), pressionado pelas ruas, também disse não. 

O segundo é a escandalosa liberação de R$ 800 milhões aos parlamentares, para que eles "aguentem" as pressões do povo e votem no projeto do governo. 

"Segundo informações da Folha de São Paulo, os recursos destinados a emendas de responsabilidade de seis partidos da base chegam a R$ 300 milhões e de acordo com integrantes da própria equipe presidencial, o total pago a toda a base aliada chega a R$ 800 milhões."

"As pastas que receberam os recursos foram a de Saúde, Cidades e Turismo e a lista de obras beneficiadas foi encaminhada aos ministérios. A justificativa para não ter liberado as verbas até então era de que necessitava 'obtenção de disponibilidade junto ao Tesouro' e 'verificação do andamento de cada convênio'".

Michel Temer está à frente, portanto de um governo perigoso, maléfico à maioria da população e aos interesses maiores do País. Além de querer a todo custo o fim da aposentadoria dos trabalhadores, o peemedebista e seus seguidores preparam o terreno com outras reformas para entregar o Brasil aos grandes capitalistas estrangeiros. É um vendilhão da Pátria. Tem que ser enxotado imediatamente da presidência.


Leia também: 

DA REDAÇÃO | Em entrevista à Folha de S.Paulo (22), o ministro Henrique Meirelles (Fazenda) soltou algumas pérolas e disse quase de forma direta que os trabalhadores rejeitam Lula, aceitam perder direitos com as reformas e querem mesmo é um governo que dê mais proteção aos ricos. Meirelles, filiado ao PSD, é o principal assessor de Michel Temer...