Matéria de consagrado jornalista deixar no ar que depósitos da Caderneta de Poupança podem ser confiscados

05/01/2017 19:18

Henrique Meirelles (Fazenda) e Michel Temer / Foto: Agência Brasil
Henrique Meirelles (Fazenda) e Michel Temer / Foto: Agência Brasil

Da Redação | O consagrado jornalista Paulo Henrique Amorim reproduziu em seu portal (Conversa Afiada) matéria do G1 sobre saques feitos na Caderneta de Poupança, a mais famosa e 'segura' forma de os brasileiros guardarem suas economias.

Embora o texto em si não fale de forma explícita sobre um possível confisco da poupança pelo governo Temer, o título é sugestivo e deixa no ar que algo de ruim pode ocorrer com o dinheiro do povo. Eis o título: Poupança: saque enquanto é tempo. O que Amorim quer dizer com isso?

Algumas pessoas mais velhas lembraram do governo Collor, que confiscou a poupança de todo mundo no início da década de 1990. Temer teria coragem para tanto? Isto é uma incógnita. Mas o fato é que ele está confiscando o direito à aposentadoria da população e quer confiscar também direitos contidos na CLT. A poupança poderia ser só mais um item nessa lista.

A matéria do G1, reproduzida por Amorim, diz que "Os saques da poupança superaram os depósitos em R$ 40,7 bilhões em 2016", de acordo com o Banco Central.

Conteúdo recomendado: