15 anos na sala de aula e esse presidente desgraçado quer que eu fique mais 34?, desabafa professora que apoiou a queda de Dilma

04/01/2017 13:38

Da Redação | Em forte desabafo, a professora Alessandra F Burlamaque, de Curitiba, diz que não quer nem pensar em ficar até os 73 anos numa sala de aula. Ela declara que já tem 39 anos e está há 15 no magistério. "Quer dizer então que esse presidente desgraçado quer que eu fique mais 34 anos no colégio para ter direito a aposentadoria integral?". "Ele tá é louco", afirma.

Alessandra confidencia que deu apoio ao golpe contra a presidenta Dilma Rousseff e comemorou bastante quando o processo se consumou no Senado. Agora, contudo, diz que está confusa e que se pudesse voltar no tempo talvez agisse de forma diferente.

Pelas regras Temer, só terá direito a aposentadoria integral quem trabalhar e contribuir durante 49 anos, exceto os militares e bombeiros. Professores perdem a aposentadoria especial e, no mínimo, terão que completar 65 anos de idade para se aposentarem

A indignação entre os educadores contra a reforma da morte proposta por Temer não é exclusividade da professora Alessandra. Conforme enquete abaixo em andamento, quase 100% são contra o fim da aposentadoria especial dos professores.

Alessandra diz que com a presidenta Dilma as coisas também não estavam boas. Mas pelo menos, pondera, não existia essa história de trabalhar e contribuir 49 anos para se aposentar. "Acho que errei ao apoiar o impeachment", conclui em tom de lamentação.

Conteúdo recomendado:

DA REDAÇÃO | O conluio entre Gilmar Mendes (STF) e Aécio Neves (PSDB) é realmente muito forte. Segundo matéria da Folha de S.Paulo (19), "Mendes conversou com Aécio no dia 25 de abril de 2017, quando deu decisão favorável ao tucano para que ele não precisasse prestar depoimento à Polícia Federal em um dos inquéritos da Lava Jato. A informação...